quinta-feira, 17 de novembro de 2016

NEAF debate PEC da maldade com o professor Quartim

O Núcleo de Estudos Adamastor Fernandes (NEAF) retoma seus trabalhos apresentando mais um debate, dessa vez o tema escolhido é o “Retrocesso Brasileiro” que está ocorrendo via o Projeto de Emenda Constitucional (PEC) nº 241 na Câmara e a PEC 55 no Senado, que prevê limites nos gastos públicos e afeta investimentos sociais. 
 
O debate faz parte do ciclo “Diálogos e Conexões” - que tem como intuito trazer para o centro da mesa as questões mais importantes a serem debatidas pela sociedade, para isso o professor, João Quartim de Moraes, que é graduado em filosofia, doutor pela Fondation Nationale de Science Politique da Academia de Paris (1982), foi convidado.
 
Quartim que atualmente é professor voluntário da UNICAMP no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) - onde atuou como titular da cadeira entre 1982 a 2005, é membro do Comitê Central do PCdoB e diretor da sessão paulista da Fundação Maurício Grabois.
 
O Núcleo é composto por acadêmicos, sindicalistas, ativistas, militantes de movimentos sociais e está aberto para todos que quiserem contribuir com a reflexão em prol de uma sociedade mais justa e leva o nome do primeiro vereador comunista eleito em Jundiaí, Adamastor Fernandes.

Evento
O evento será no dia 23/11 (quarta-feira), a partir das 19h30, no Sindicato dos Metalúrgicos de Jundiaí, que fica na Rua XV de Novembro, 240 e está aberto ao público. 
 
Texto: Felipe Andrade 
 
 

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

PCdoB comemora avanços na macrorregião de Jundiaí

Um balanço da participação do PCdoB nas últimas eleições foi o tema da reunião da macrorregião do partido nessa quinta-feira, 03 em Jundiaí.
Com a presença do deputado federal e presidente estadual da sigla, Orlando Silva, os representantes das cidades contaram as dificuldades e os avanços do PCdoB na região.

Para Orlando Silva, o PCdoB saiu com saldo positivo das eleições. “Quero parabenizar todos vocês pelo duro trabalho nas eleições, não foi uma tarefa fácil ainda mais com um cenário de negação da política, negação da esquerda, todos estão de parabéns por cada voto”, enalteceu.

Na macro de Jundiaí foram eleitos 6 vereadores (2 Várzea Paulista, 1 Atibaia, 1 Bom Jesus dos Perdões, 1 Cajamar e 1 Jarinu) duas vices prefeitas (Cajamar e Bom Jesus dos Perdões) e todos os prefeitos (com exceção de Jundiaí e Várzea Paulista) apoiados pelo partido foram eleitos. Também estavam presentes na reunião dirigentes do partido de Jundiaí, Francisco Morato e Campo Limpo Paulista.

Orlando Silva destacou o protagonismo de cada cidade nas eleições, como explicou, o PCdoB é um partido de diálogos e isso foi respeitado pelo Comitê Estadual. “Não ditamos regras e obrigações para cada Comitê pois quem conhece a realidade da cidade são vocês, então as alianças realizadas nessas eleições foram respeitadas, pois somos um partido aberto ao diálogo, e isso nos ajudou a passar por toda essa turbulência”.

Para o presidente estadual do PCdoB, o cenário nacional influenciou muito as eleições e fizeram dela uma dura batalha para quem defende a esquerda. “Estamos em um momento difícil no país com uma crise econômica muito grande, queda da receita, aumento do desemprego, o PIB do Brasil diminuiu dois anos consecutivos, isso só havia acontecido em 1929 e 1930 e temos a crise política alarmante, onde a presidenta eleita foi retirada do cargo”, argumentou.

A mídia foi a grande aliada da direita nessas eleições, como afirma Orlando. Para ele, as manchetes diárias contra o PT influenciaram os brasileiros na hora do voto. “O PT cometeu alguns erros e pagará por isso, agora a mídia noticia diariamente algo contra o PT, mesmo que não seja a verdade, como se fosse o único partido a ter problemas”.

Segundo ele, isso contribuiu para essa aversão à esquerda nessas eleições e o fortalecimento na direita do Estado, a chamada “onda azul”.
Por tudo isso parabenizo vocês que fizeram um brilhante trabalho aqui na região, o PCdoB sai fortalecido dessa luta e vamos continuar a fortalecer o partido e crescer ainda mais, vamos trazer novos filiados com essa mesma garra de mudar todo esse cenário político”, enalteceu Orlando Silva aos presentes.

Texto e fotos: Eliane Silva Pinto 

Orlando e o vereador eleito de Bom Jesus dos Perdões, Luís Estevão

Vereador eleito de Atibaia, Michel Carneiro
Vice de Cajamar Dalete de Oliveira e o  vereador eleito Fabiano Galvão

 

Com Everton Lorencini, vereador eleito de Jarinu

Vereadores eleitos de Várzea Paulista, Osmar Pereira e Robertinho de Almeida
 

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

LEI DA MORDAÇA AOS PROFESSORES DO DEPUTADO LUIZ FERNANDO MACHADO É REJEITADA NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE SÃO PAULO

A Comissão de Educação da Assembleia Legislativa de São Paulo rejeitou nesta terça-feira, 16 o programa Escola Sem Partido, onde um dos autores é o deputado estadual por Jundiaí, Luiz Fernando Machado.

Na noite de ontem, os vereadores e professores Rafael Purgato, Leila Casote e Eliezer Barbosa apresentaram moção contra o projeto. Segundo Purgato, o projeto limita a atuação do professor em sala de aula. “O professor é responsável por contribuir com uma visão crítica para o jovem, esse projeto tenta tirar isso do professor, é uma criminalização da atuação do docente”, afirma.

Purgato que é professor do ensino médio em Jundiaí analisa com preocupação esse projeto e outros que tentam limitar as discussões e pensamentos diferentes. “Todas as visões precisam ser discutidas e debatidas, os professores não fazem da escola um campo de debates o tempo todo, porém em alguns momentos isso é inevitável, pois é lá onde o aluno passa a maior parte do tempo”.

Contrário também ao Escola sem Partido, o secretário estadual da Educação, José Renato Nalini, criticou nesta terça o projeto, no Jornal O Estado de São Paulo. Para ele, o projeto vai “blindar e homogeneizar as escolas, comprometendo o espírito crítico dos alunos”. “Queremos, sim, que o aluno tenha espírito crítico, ouça todas as opiniões e escolha a que melhor convier com a sua preferência, seu talento, sua etnia e sua origem. Ninguém quer escola blindada, escola homogênea. Homogeneidade é característica de formigueiro e colmeia, não é de espécie humana.”


Texto: Eliane Silva Pinto
Fonte: Jornal O Estado de São Paulo 

quinta-feira, 28 de julho de 2016

PCdoB JUNDIAÍ MOSTRA FORÇA E UNIDADE EM SUA CONVENÇÃO MUNICIPAL

O clima de união e entusiasmo marcou a Convenção Eleitoral do PCdoB Jundiaí, na noite de ontem. A atividade referendou o apoio à reeleição do prefeito Pedro Bigardi e a coligação proporcional com o PMDB e PSDC “Para fazer ainda mais por Jundiaí”.

Aproximadamente 400 pessoas lotaram as dependências do Clube 28 de Setembro e puderam conhecer os onze pré-candidatos a vereador do partido. “Montamos um time forte com importantes nomes, pessoas referências em suas áreas de atuação que lutarão com muita garra nessa eleição”, enalteceu o presidente do PCdoB local, o vereador Rafael Purgato.

Os presidentes Waldemar Foelkel (Cabelo) - PMDB e Sérgio Dutra (PSDC), assim como seus pré-candidatos prestigiaram a atividade e mostraram o clima de unidade da chapa proporcional. Em suas falas, foram unânimes, ao lado de Purgato, ao destacar a força e energia da chapa na busca por cadeiras na Câmara Municipal.

Presente no ato, o prefeito Pedro Bigardi enalteceu os muitos avanços da Prefeitura nesses últimos anos. “Esse é o governo mais realizador de todos os tempos e esse é o melhor time para continuarmos a avançar em Jundiaí”, destacou.

Purgato legitimou o apoio do PCdoB à reeleição do prefeito Pedro Bigardi. “O PCdoB contribuiu muito com esses avanços no governo e vamos defender esse legado nas próximas eleições, por isso nosso apoio a reeleição do prefeito Pedro Bigardi”.

Com atuação destacada, o PCdoB deixa sua marca no atual governo e contribui para uma gestão mais humanizada e comprometida com a cidade, nas diversas pastas que ocupa.

No ato o PCdoB apresentou o nome do vereador Rafael Purgato como vice-prefeito. “Com essa convenção, o PCdoB demonstrou capacidade de mobilização, capacidade de diálogo, capacidade de contribuir para a construção do governo, e dessa maneira apresenta meu nome, se assim for o entendimento, para uma disputa majoritária ao lado do prefeito Pedro Bigardi”, ressaltou Purgato.

Confira os nomes dos 11 pré-candidatos a vereador do PCdoB:

Aparecida Jacinto dos Santos

Benedito Vieira Coelho

Eduardo Augusto Pereira Ramalho (Festa)

Elisângela Lima Bezerra

Flávio Elton da Cunha (Caveira)

Jucileide Batista dos Santos

Rafael Turrini Purgato

Reinaldo Fernandes

Roberto Gonçalves de Sá

Sandro Roberto Cardoso dos Santos (Batata)

Tércio Marinho do Nascimento Junior



























segunda-feira, 4 de julho de 2016

RODA DE CONVERSA COM A DEPUTADA LECI BRANDÃO EM JUNDIAÍ

Nessa quarta-feira, 6  a deputada estadual Leci Brandão estará em Jundiaí para uma roda de conversa sobre as principais bandeiras do seu mandato, como a defesa do movimento negro: sua cultura e história. A atividade acontece no Clube 28 de Setembro a partir das 19h00, com entrada gratuita.

Deputada pelo PCdoB, Leci Brandão faz esse diálogo do empoderamento das minorias na Assemblei a Legislativa. Como explica um dos organizadores do evento, o pré-candidato a vereador pelo PCdoB Eduardo Festa, a parlamentar é reconhecida por toda essa luta. “Ela representa o povo da periferia, o negro e todos que sofrem preconceito, ela trava cotidianamente essa luta em seu mandato”.

De acordo com Festa, Leci Brandão tem um carinho muito grande por Jundiaí. “A deputada tem uma boa relação com Jundiaí seja como artista ou como deputada, ela  fez questão de visitar a cidade e dar sua contribuição”, destacou.

A atividade conta com o apoio do PCdoB local e da União da Juventude Socialista local (UJS-Jundiaí).


Texto: Eliane Silva Pinto

quarta-feira, 29 de junho de 2016

EVENTO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS MOSTRA FORÇA DO MANDATO DO VEREADOR RAFAEL PURGATO


Três anos de forte atuação na Câmara Municipal em defesa do desenvolvimento dos bairros e de melhor qualidade de vida aos seus moradores. Com esse lema, o vereador Rafael Purgato (PCdoB) faz seu primeiro mandato, marcado por forte atuação junto à população.

Todo esse trabalho pode ser mensurado em evento de Prestação de Contas realizado pelo parlamentar no último sábado, 25 no Clube Veteranos. Com o local repleto de lideranças e apoiadores que o ajudam a fazer de seu mandato, um mandato popular, Purgato pode apresentar os principais avanços.

Trabalhamos bastante nesse período e com a ajuda de vocês estamos conseguindo colocar em prática aquilo que nos comprometemos que é lutar pelas pessoas mais necessitadas da cidade e contribuir com o crescimento da cidade”, destacou.

Ao lado do deputado federal Orlando Silva, presidente do PCdoB Estadual, o vereador agradeceu ao partido por todo o apoio ao longo de sua trajetória. “Tudo o que desenvolvemos no mandato é pautado por esse partido com quase 100 anos de história”.

Em sua fala, Orlando Silva destacou o trabalho do parlamentar. “O Rafael é um jovem político de grande qualidade, tem demonstrado isso como vereador na luta aguerrida de seu mandato a favor da comunidade, é um grande líder na cidade e que terá uma longa trajetória política”.

Purgato enalteceu também a parceria com a Prefeitura da cidade e cumprimentou o prefeito Pedro Bigardi, presente a atividade, pelos grandes avanços. “Podemos ver nos bairros a alegria das pessoas com a conquista de melhorias esperadas há anos. É um governo preocupado com as pessoas, por isso tem todo o meu apoio”.

O prefeito agradeceu ao vereador pela parceria na Câmara Municipal. “O Rafael é uma referência para nós na Câmara, com seu apoio conseguimos a aprovação de importantes projetos para a cidade. “É uma importante liderança política e tem demonstrado isso em seu mandato”.

Bigardi fez questão de ressaltar a contribuição do PCdoB com o crescimento da cidade. “Esse grupo do PCdoB, liderado pelo presidente Rafael Purgato, tem dado grande contribuição ao nosso governo, em diversas áreas de atuação, contribuindo para um governo mais humanizado a toda população”.

Mais de 300 pessoas compareceram a atividade e puderam conferir também o informativo de Prestação de Contas do vereador, com as principais lutas e realizações desse período.

Texto: Eliane Silva Pinto
Fotos: Chico Lima






sexta-feira, 10 de junho de 2016

CONGRESSO MUNICIPAL DA UJS JUNDIAÍ É NESSE SÁBADO

 
 “O diálogo da UJS com a juventude é diário e intenso e todos podem contribuir para moldar a face e a atuação da entidade, pois ela contém um pouquinho da essência de todos que dela se aproximam e participam”. Com essa frase a presidência da UJS de Jundiaí, Bruna Bolson define o momento da entidade na cidade com a realização de diversas atividades para atrair os jovens e discutir políticas públicas na cidade.

Nesse sábado, 11 será realizado Congresso Municipal da UJS Jundiaí no Museu Solar do Barão a partir das 14 horas. Com o tema "Canto e esperança de um mundo novo", o Congresso tem como objetivo promover o debate sobre diversas questões importantes da sociedade, eleger a direção da entidade e preparar a participação dos membros no Congresso Estadual e Nacional da UJS.

Para Bruna, o Congresso representa a consolidação da UJS Jundiaí que passou por um processo de reestruturação. Nesse período travou grandes lutas como a redução da maioridade penal, os retrocessos trabalhistas e para combater os projetos conservadores que ameaçam a educação. “Unimos nossas vozes às dos estudantes secundaristas contra o fechamento de escolas e contra os ladrões de merenda. Buscamos, incansavelmente, o fim de todas as formas de violência contra as mulheres e a comunidade LGBTT acreditando sempre que poderemos romper com as amarras do machismo e do preconceito”.

Texto: Eliane Silva Pinto 

Confira a programação:


quarta-feira, 18 de maio de 2016

NOTA DE REPÚDIO AO GOLPE E ÀS MEDIDAS DO GOVERNO GOLPISTA


O Brasil vive a maior crise institucional desde 1964, na qual vemos um enfraquecimento do judiciário, um empobrecimento ético do legislativo - tudo isso na égide da imprensa tradicional -, a chamada grande mídia. 

Assim, a narrativa da ciência política já descreve esse fenômeno como um pacto jurídico-político-midiático e o PCdoB entende, também, como um consórcio golpista.

É golpe porque esse impeachment não tem base legal e é um atentado ao Estado Democrático de Direito. A presidenta Dilma não cometeu nenhum crime de responsabilidade. Transformam uma crise política e uma crise econômica mundial em ferramentas para usurpar o poder. 


É um golpe hipócrita por sua motivação imediata: o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha, aceitou o pedido de impeachment buscando escapar da cassação pelos crimes de que é acusado: contas secretas na Suíça, propinas, chantagens, achaques, mentiras. Seria cômico, se não fosse trágico: um personagem desses travestir-se de moralizador.


Cunha foi afastado quando já não era mais importante ao processo, pois a conspiração aconteceu por meses no Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente, o constitucionalista que traiu seu objeto de estudo, o sempre interino Michel Temer. E desde o dia 12 de maio só recebemos más notícias. 


A começar pela composição do ministério interino: a extinção do Ministério da Cultura, a extinção das secretarias de promoção da Igualdade Racial, da Juventude, de Promoção de Políticas Públicas para as Mulheres, a extinção do Ministério do Desenvolvimento Agrário, entre muitas coisas que vestem a roupagem de redução de gastos e atacam os direitos sociais e civis. 


Os posicionamentos de alguns ministros interinos já incomodam, pois já falaram em redução do SUS e atacaram o programa de permanência estudantil. O PROUNI, PRONATEC e FIES já foram cortados de nove faculdades, é só o começo, infelizmente. Só nos resta resistir ao consórcio golpista, buscar a reversão no senado e lutar todos os dias nas ruas. Esses dias estão valendo por anos e não vamos nos omitir.


O Comitê Municipal do PCdoB de Jundiaí se soma nessa luta e não abrirá mão dos direitos obtidos pelo povo. A presidenta eleita é Dilma Vana Roussef e vamos trabalhar para desmontar esse consórcio golpista.


Comitê Municipal PCdoB Jundiaí-SP

quinta-feira, 12 de maio de 2016

UM OLHAR DIFERENCIADO ÀS MULHERES


A Coordenadoria de Políticas Públicas para as Mulheres é o olhar sensibilizado do PCdoB para as causas das mulheres”. Com essa frase Marilza Campos resumi a importância da Pasta ao partido em Jundiaí.

A frente da Coordenadoria há dois anos, Marilza relata os muitos avanços e os desafios em implantar um modelo novo na cidade, até então as Coordenadorias não existiam no município.

Em sua sala há muitos panfletos sobre a Lei Maria da Penha que evidencia o foco dos trabalhos. Segundo ela, a divulgação da Lei pela Coordenadoria tem ajudado muitas mulheres a denunciar os maus tratos, o número de denúncias cresceu na cidade, de acordo com a Delegacia da Mulher. “Trabalhamos a questão da violência contra a mulher e incentivamos as denúncias, e ao mesmo tempo, mostramos para essa mulher o leque de opções para ajudá-la seja cursos, oficinas, debates”, relata ela.

O empoderamento da mulher é evidenciado por Marilza, em seus muitos debates e reuniões, procura evidenciar o papel da mulher em muitas frentes como na política, direitos humanos, saúde. Ela ressalta com entusiasmo o crescimento e engajamento de muitos grupos feministas na cidade.

As mulheres estão ocupando espaços na cidade em várias áreas e isso é muito importante na nossa luta”, afirma.

Confira abaixo a entrevista com a Coordenadora de Políticas Públicas para as Mulheres Marilza Campos:

Como foi receber o convite de ser Coordenadora e por que resolveu aceitar esse desafio?

Marilza: Fiquei muito lisonjeada com o convite, o PCdoB é um partido muito aguerrido nessa questão da defesa dos direitos das mulheres, quando recebei o convite percebi que poderia contribuir com o governo e com o partido nessa questão, aceitei esse grande desafio. 
 
Quais foram os principais desafios?

Marilza: A questão da novidade, as pessoas não sabiam de início o que era uma coordenadoria, era algo novo em Jundiaí. Desde o início começou um trabalho de apresentar o trabalho e objetivos da Coordenadoria.

Nesse tempo muitas pessoas conheceram a Coordenadoria e hoje são nossos parceiros nas ações, porém tem mulheres ainda que não conhecem o nosso trabalho e precisamos chegar até elas, apresentar nossos objetivos e empoderar essas mulheres.

Outro grande desafio é que a Coordenadoria da Mulher de Jundiaí é a única coordenadoria da região, então nosso trabalho é único não temos, como em grandes regiões, vários órgãos sobre os direitos das mulheres, então vamos construindo aos poucos com a ajuda de todos.

Quais os principais avanços que você enumera?

Marilza: Destaco duas frentes, continua sendo um desafio mas tivemos importantes avanços. O Outubro Rosa, campanha da Secretaria de Saúde de conscientização das mulheres sobre o exame de câncer de mama, a campanha começou por iniciativa de duas assistentes sociais e hoje é uma das campanhas mais bem sucedidas da Prefeitura, tivemos recordes de exames na última campanha.

A Coordenadoria da Mulher e o Fundo Social de Solidariedade abraçaram a causa, assim como as demais secretarias e até a iniciativa privada, tem sido muito gratificante esse trabalho.

Outra frente de tanta importância é o enfrentamento a violência. A Coordenadoria trabalha na divulgação dos direitos das mulheres, na divulgação da Lei Maria da Penha, promovendo reuniões de conscientização, a lei precisa ser divulgada pois muitas mulheres não conhecem seus direitos.

Após a criação da Coordenadoria da Mulher e de toda essa divulgação, segundo a Delegacia da Mulher aumentou o número de denúncias, as mulheres estão encorajadas a denunciar, agora o desafio é que a Delegacia da Mulher do Estado consiga absorver essa grande demanda.

Embora o número de denúncias tenha aumentado isso não significa que a violência contra a mulher aumentou, as mulheres se encorajaram para fazer a denúncia.

A Coordenadoria promove palestras e encontros, esses dias você foi na Faculdade Anhanguera falar da violência contra a mulher. Como tem sido a experiência e qual a importância do aumento dessas discussões?

Marilza: A Coordenadoria tem como objetivo a prevenção, claro damos o suporte necessário em casos de violência contra a mulher, mas nosso foco é a prevenção é divulgar a Lei Maria da Penha, divulgar outras ações para o empoderamento das mulheres. Essa meta está sendo cumprida estamos indo às escolas estaduais, faculdades falar sobre essas questões e a recepção tem sido extraordinária. As mulheres querem conhecer seus direitos e exercê-los.
 
Você tem participado de reuniões nos bairros, acredito que a Coordenadoria tem conseguido diálogo com a dona de casa que muitas vezes não conhece seus direitos, como é possível empoderar essas mulheres para conseguirem trabalhar, estudar, enfim conseguir ter força para enfrentar muitas vezes o marido e a sociedade?

Marilza: Nos bairros conseguimos grandes parcerias como os Centros de Referência da Assistência Social (Cras) nos quatro territórios Jardim São Camilo, Santa Gertrudes, Jardim Novo Horizonte e Jardim Santa Gertrudes, promovemos encontros com as mulheres do local, rodas de conversas onde a mulher se sente à vontade para dizer sobre o cotidiano.

Infelizmente a violência contra a mulher é o ponto inicial dessas reuniões, histórias contadas pelas participantes, mas com o decorrer dos encontros falamos sobre outros temas como os cursos oferecidos no Cras, as atividades oferecidas, os cursos profissionalizantes, os atendimentos, a possibilidade de voltar a estudar, mostramos para mulher as várias possibilidades que ela pode usufruir, isso é empoderar a mulher.

Nosso foco é o trabalho em grupo mas também atendemos casos individuais, a Coordenadoria é aberta a todas as mulheres seja por e-mail, telefone ou pessoalmente, já fiz vários atendimentos. Já atendi mulheres de todas as classes sociais, inclusive da classe média alta onde muitos nem imaginam que exista a violência, mas infelizmente isso é uma realidade, por isso a Coordenadoria está a disposição de todas mulheres.

Percebemos o aumento de grupos feministas na cidade como Quem Calou Petronilha, entre outros, como você avalia isso? A Coordenadoria tem relação com esses grupos?

Marilza: Sim os grupos cresceram muito em Jundiaí e elas sabem que tem o respaldo de um governo que criou a Coordenadoria da Mulher e trabalhamos em parceria a todo o momento.

É muito importante termos mulheres em várias frentes da igualdade racial, política, questão LGBT, temos que estar em todos os lugares, ter voz e lutar pelos nossos direitos.

O próprio Conselho da Mulher está mais representativo hoje e tem esse viés empoderar as mulheres para fazer essas lutas. A Coordenadoria da Mulher que preside o Conselho e nessa gestão conseguimos fortalecer o Conselho, hoje temos uma agenda fixa de reuniões, tudo isso atraiu mais mulheres e tem surtido um efeito muito positivo.



Vocês promoveram uma grande Conferência da Mulher no ano passado, acredito que isso se deve ao fortalecimento do Conselho da Mulher e dos grupos feministas na cidade?

Marilza: Sem dúvidas, realizamos a Conferência em parceria com o Conselho da Mulher e foi um marco em Jundiaí. Tínhamos o desafio de reunir além das mulheres da cidade também representantes da região e obtemos muito êxito.

A Conferência da Mulher foi bem representativa, vários coletivos participaram e os debates foram muito qualificados.

A nossa delegação eleita em Jundiaí para nos representar na Conferência Estadual Nacional da Mulher, mostra bem essa pluralidade de coletivos na cidade, temos mulheres representantes do parto humanizado, mulheres do movimento mulheres negras de Jundiaí, representantes da União Brasileira das Mulheres, representantes do Coletivo Quem Calou Petronilha, representantes do poder público, no caso da Coordenadoria da Mulher e representantes dos movimentos LGBT.

Tivemos esse cuidado para garantir a participação de todos os coletivos, o intuito é que cada representante multiplique todo o conhecimento adquirido nas Conferências com o seu coletivo, e isso fortalecerá todos os movimentos da cidade.

Você é uma dirigente do PCdoB, um partido que possui forte atuação nos movimentos feministas, como tem sido poder estar a frente de uma coordenadoria tão importante para o partido?

Marilza: Me sinto muito lisonjeada de estar a frente de um Pasta tão importante como esta para o PCdoB, foi um grande avanço para o partido ter conquistado a prefeitura em 2012 e ter desenvolvido trabalhos tão fundamentais nas Secretarias e Coordenadorias.

Para mim é importante ter a confiança do partido para priorizar a defesa dos direitos das mulheres, uma grande experiência tanta profissional como pessoal.

As Coordenadorias têm o papel de construir políticas públicas, como o seu conhecimento político tem te ajudado nessa questão na Coordenadoria?

Marilza: Apontar as políticas públicas é o trabalho das Coordenadorias, o prefeito e os secretários não podem estar o tempo todo em todos os lugares, então eles contam com as coordenadorias para trazer esse trabalho de ouvir a comunidade e elaborar as políticas públicas..

E ir a campo não é fácil, você lida com os anseios da comunidade e é necessário ter respostas e construir uma relação de confiança, o que me ajuda é a experiência que adquiri no PCdoB. O partido tem uma forte atuação em defesa dos direitos das mulheres, então para o nosso trabalho na Coordenadoria é essencial contar com esse respaldo do PCdoB.

Como você avalia o PCdoB no governo?

Marilza: O partido tem tendo muitos elogios por sua atuação e de pessoas que não são do nosso convívio, munícipes que agradecem os atendimentos e os serviços das Pastas coordenadas pelo partido.

Somos muito unidos e trabalhamos em conjunto, vibramos com as conquistas de cada Pasta, por exemplo é empolgante ver a determinação dos jovens da Coordenadoria de Juventude e a sensibilidade na condução da Coordenadoria dos Direitos das Pessoa com Deficiência tanto do Reinaldo como do Júnior.

O PCdoB realizou um excelente trabalho nessa primeira gestão, agora é continuar a avançar. 

Texto e fotos: Eliane Silva Pinto